Conheça as áreas do Direito onde você pode atuar

Poucas graduações da área de humanas são tão diversificadas quanto o direito. Afinal, quem conclui este curso pode ingressar em dezenas de profissões, muito embora ainda tenha gente que associe o direito somente à advocacia. Para acessar este leque de possibilidades, é necessário estudar durante cinco anos e, posteriormente, estender o ensino a uma pós-graduação, segmentada para a área de interesse. Toda esta dedicação tem um custo, que pode ser elevado. Entretanto, o acesso às bolsas de estudo na área do direito está cada vez mais fácil.

O bacharel em direito é um conhecedor das leis. E mesmo que a advocacia seja a escolha do recém-formado, ele deverá buscar aperfeiçoamento para ingressar no mercado de trabalho de forma competitiva. Isso porque direito não é tudo igual, e dependendo da área escolhida, o conhecimento absorvido ao longo dos cinco anos da graduação se torna insuficiente.

Para cada problema judicial, um advogado especialista diferente pode ser demandado. Desta forma, existe a necessidade de buscar profissionais especialistas para lidar com os mais diferentes assuntos, como por exemplo os casos civis, familiares, trabalhistas, contratuais, empresariais, militares e criminais.

Mais recentemente, o mercado tem demandado, com frequência, profissionais da área engajados com o meio digital, já que a relação de consumo e entre pessoas têm sido feitas, cada vez mais, através da rede mundial de computadores.

Mas como dissemos, o direito é tão amplo que não se restringe ao exercício do advogado. Isso porque o especialista em interpretar leis pode atuar em outras áreas. Muitas delas, aliás, exigem a aprovação em disputados concursos públicos. Estes são os casos de carreiras como promotor, juiz, defensor público, analista e assessor técnico. Sem contar os trabalhos de polícia, como os oficiais e os delegados, restritos a quem tem curso superior em direito.

Como escolher a área de atuação?

A pergunta não é simples, muito menos a resposta. Especialistas recomendam que o estudante, ainda na graduação, busque experiências nas mais diferentes áreas que o direito proporciona. Os estágios e os núcleos juniores de advocacia – realidade em muitas instituições de ensino superior – proporcionam o exercício prático do conhecimento adquirido em sala de aula.

O trabalho de observador também é importante para compreender o papel de cada profissional envolvido no direito. Isso é possível, por exemplo, no acompanhamento de julgamentos, onde estão presentes o juiz, os promotores e os advogados.

Graduação é pontapé inicial da carreira

Para opções tão diversificadas, cinco anos se tornam insuficientes. Na verdade, a graduação na área deve ser encarada como um pontapé inicial. Muito embora a base seja importante para os próximos passos que devem ser dados. Por esta razão, é essencial ingressar em instituições de ensino de qualidade comprovada, com boa infraestrutura e corpo docente diferenciado.

Com algumas pesquisas na internet, é possível, inclusive, estudar nas melhores instituições com descontos de até 75% na mensalidade. As bolsas de estudos direito são uma realidade, como pode ser conferido em sites como o Educa Mais Brasil, parceira de mais de 18 mil instituições de ensino no território nacional.

E a mesma regra vale para a especialização disponibilizada pela pós-graduação. Seja ela presencial ou de ensino à distância (EAD), preço e qualidade devem ser os principais critérios na hora de escolher uma para a matrícula. Mais uma vez, as bolsas de estudos para a pós em direito são realidade.

Qualificação e aprendizado constante

E como aprendizado nunca é demais, é muito importante buscar e concluir o maior número possível de especializações na área. A maioria dos concursos públicos adota o currículo como critério classificatório. E claro, naturalmente, quanto mais preparado, melhor serão as chances do profissional no mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *